23 de dez de 2010

Comunicado

Esse blog está absolutamente abandonado por tempo indeterminado, o motivo é uma profunda falta de inspiração e reflexões sobre os temas comumente abordados.

:[

Muito bem, agora o Brasil inteiro vai dormir em paz porque eu me expliquei, eu sei...rs.

27 de nov de 2010

O que move você?


 “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os aborreceu, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo.
Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal.
Não são do mundo, como eu do mundo não sou.
João, 17;14 -16.

Nesses últimos dias eu tenho aprendido  e observado nas pessoas também, algo que o Senhor tem me feito enxergar, é complicado para escrever, expressar com palavras mas eu vou tentar fazer.

O que move você?
Sim, o que faz com que você se relacione com outras pessoas, com o mundo, com colegas de trabalho e com você mesmo?
Qual é o primeiro sentimento que te impulsiona a agir no dia-a-dia?

Eu vi em mim mesma que numa grande parte das vezes eu sou movida pela solidão.

Se eu fico na internet demoradas horas...é porque a solidão me obriga.
Se eu telefono para alguém e convido a dar uma volta...a solidão me incomodava.
Se eu desejo que “tal” dia chegue logo...é na esperança de amenizar a solidão.
Se eu vou à igreja...idem.
Se mando um torpedo...idem de novo.
Email? Idem.

Ainda bem que isso não acontece em 100% das vezes (já é alguma coisa) mas eu tenho feito algumas resoluções para mim mesma, e a primeira delas é: “ Se o que me move a fazer isso nesse exato momento é a minha própria solidão, então não farei, antes, orarei sobre isso”.

Parece que isso foi uma das melhores idéias que já tive na vida. Tenho visto e aprendido coisas excelentes, além de me sentir bem melhor e entender as pessoas.

Solidão é o mal do século, pode ser o estopim de uma depressão, de uma dependência emocional/sexual/sentimental, pode fazer você virar uma puta, um insensível, um “safado” que vai sempre substituindo uma mulher por outra, um amigo por outro, um copo por outro, uma dose por outra, ou simplesmente, você leva sua vida tranquilamente, mas não passa de um EGOÍSTA, pois a sua motivação tem sempre raiz na maldita solidão que sente.

“Digam o que quiserem, mas a solidão é o mal do século” Renato Russo. Poetas, tantas canções, livros, psicólogos,bares, há tantas provas de que o Renato estava absolutamente certo...já parou pra pensar nisso?

Meu desejo é substituir a solidão por amor.

Mas você pode dizer:"Ei, sua maluca, não tem nada de mais em se sentir solitário, todo mundo tem isso, a gente sempre dá um jeito, ignora, faz qualquer coisa, aliás, as pessoas nem pensam nisso!"

Mas a questão é justamente essa: “ Todo mundo sente isso”. (eu concordo plenamente que um bocado de solidão é absolutamente necessário, a própria bíblia confirma isso. É vital.) (Lamentações 3, 27 e 28)

Acontece que nós, os cristãos não somos mais do mundo, apenas estamos de passagem por ele. Nós já somos parte de um Reino. Você é parte de um Reino. E no mais o nosso Rei aconselhou que orássemos: Venha o Teu Reino (Mateus 6,10)

E esse Reino é de Justiça, Paz e Alegria (Romanos 14,17). Sobretudo esse é o Reino do Amor. Onde os súditos são ensinados a amarem uns aos outros tal como foram amados pelo seu Rei, onde eles devem dividir o que quer que tenham, se importar com sinceridade pelo bem estar do próximo.

Tenho visto amigos(as) meus serem movidos pelar solidão/dor e eu desejaria muito dizer-lhes essas coisas. Desperte! Você não é desse mundo! Não pode mais ser motivado pelo que motiva o mundo, egoísmo disfarçado de religião ou fé transforma você num grande frustrado/fracassado! Veja! Não dá pra servir a dois senhores e você sabe bem disso!

Não sejamos mais em nada guiados pela dor, mas sim pelo amor que vem do Pai. Oremos por isso.

Quando eu amo a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a mim mesma, então eu estou vivendo o Reino de Deus na Terra, Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude (1 Cor 4,20). Dessa forma eu cumpro a Lei, contribuo para o Corpo de Cristo, fortaleço meus irmãos e me aproximo do Rei. Doutra maneira seria apenas mais uma egoísta desesperada por amenizar o vazio que sente...

Por favor, se junte a mim, vamos juntos viver e dizer: Venha o Teu Reino!

Agora se você não é um cristão ou é apenas um religioso, tem um X vermelho no canto superior direito da tela.

22 de nov de 2010

Desencana!

Desencana, irmão! DE-SEN-CA-NA, VAI!

Essa daqui vai pros meus amigos bitoladinhos, com carinho. 
=D

Sobre o fim das nossas vidas...




DEPOIS voltei-me, e atentei para todas as opressões que se fazem debaixo do sol: e eis que vi as lágrimas dos que foram oprimidos e dos que não têm consolador; e a força estava da banda dos seus opressores; mas eles não tinham nenhum consolador. Eclesiastes 4, 1. 

Hoje a tarde no trabalho eu quis ir pra um lugar mais tranqüilo, sentar pra descansar sozinha e pensar. Me sentei bem tranqüila e comecei a conversar com o Rei,amigo meu,  sobre o telefonema que havia recebido na hora do almoço, enquanto isso observava as pessoas ao redor.

“Deus, a vida as vezes me parece injusta, sabia? Veja o tamanho da dor que as pessoas carregam! Passamos a vida em meio à dor, será justo que as pessoas levem esse peso sobre si mesmas?”

“Parece que “algumas” pessoas sofrem tanto, uma dor que ninguém vê ou se importa, as vezes eu penso que elas mereciam sorrir, ser aliviadas, curadas por dentro. Ah! se eu pudesse me levantar daqui e fazer algo! Senhor, eu faria. Mas parece que o egoísmo prevalece sobre todos...”

Eu não sei se isso foi murmuração ou não, mas já que era isso o que eu sentia, foi isso o que disse pro Rei, o meu amigo.

Não demorou nada, e logo Ele me levou à sua boa Palavra. Nesse momento alguém começou falar mais alto bem na minha frente, comecei a prestar atenção.

Havia uma senhora com idade já bem avançada numa cadeira de rodas, com um curativo nos olhos (havia feito cirurgia). Mal acreditei na forma que a mulher que  acompanhava a tratava. Com gestos violentos, bruscos, com tapas, empurrões, gritos e uma grosseria que eu nunca vi igual.

Eu quis dar um murro na cara daquela bruxa!

Desejei saber como havia sido a vida daquela senhorinha tão sofrida, então eu me lembrei de um versículo que diz: Lembre-se do seu criador enquanto você é jovem e antes que cheguem os dias que dirás: Não tenho mais prazer na vida.

Temi estar no lugar dela.

Ali eu vi o quanto sou fútil, inconseqüente e egoísta, deixando minha vida passar, reclamando apenas do quando a vida é difícil. E se fosse eu naquela cadeira?

Certamente para aquela senhorinha já não restam muitos dias e já não há mais prazer na vida. Num momento ela disse: “Eu vou morrer...”
-”Se morrer a gente enterra logo, nem espera morrer direito” disse a bruxa acompanhante (acho que era filha)

Será que o meu fim vai ser assim?
Será que o seu fim vai ser assim?
Será que o fim dos amigos que amo vai ser assim?

Lembrei-me também que Salomão disse que melhor é fim do que o inicio das coisas.

Olhei para a triste senhorinha, que a essa altura chorava enquanto a obrigavam a fazer algo e pensei: Senhor, como é triste o nosso fim.

Não demora nada, e nosso fim chega, e a nossa alma para quem será?


PS: Trabalho num Hospital.

15 de nov de 2010

Deu pro namoradinho?

Madalena dava pra todo mundo. Deu pro namoradinho, depois deu pro primo dele na festinha de natal. Madalena deu pro amigo do amigo, e viu que continuar aquele namoro não seria tão correto ou tão legal. Então ela disse adeus ao namoradinho, ao priminho ao amigo do amigo. Quando ela viu que estava livre deles, esqueceu do que se tratava a liberdade de verdade e viu que agora sim poderia dar pra quem quisesse. Deu até pra melhor amiga.

Balada, esquenta, carros, finais de semana na praia, dias de semana no cinema, banheiros, inferninhos, no sofá da sala. Madalena ficou até cansada. Madalena não tinha mais o que dar.

Um dia fizeram uma comunidade no orkut que se chamava “Pedra nela!”. Na descrição tava escrito: “Se você também é como nós, acha um absurdo a Madalena dar pra todos, ou se você conhece uma história zuada dessa mina, seja bem-vindo! Obs: se a Madalena já deu pra você, você também pode participar! Nós jogamos pedra, mesmo!”

A Madalena leu aquilo e tremeu por dentro. Mais do que tinha tremido na cama com qualquer um. E suou frio, mais do que havia transpirado em todos aqueles anos. Ninguém amava Madalena. Nem Madalena amava Madalena.

No meio dessa roda de acusações e pedras, apareceu um cara que não era da cidade. Talvez por isso ele não tinha pedras na mão nem queixas a fazer. Ou talvez, aquele cara fosse diferente dos outros. Fosse igual à ela. Não porque ele vivia num desequilíbrio total, mas porque ele também não aguentava mais ver as pessoas tomando decisões pelos outros. Ele achava chato ter que pensar na vida dos outros e condená-los. Ter que ter uma opinião sobre cada detalhe, sobre cada erro, sobre cada pessoa que errava. Ele sabia que se os pecados de cada pessoa fossem passados a limpo por elas mesmas, viver seria difícil demais, e seria uma chatice. Ele sabia que pensar no passado é pra quem depende dele, e que talvez essa não fosse a melhor opção para pessoas que buscassem mudar.

Talvez tenha sido por isso que as pessoas viraram pra ele e falaram “e então? tu não acha que a mina é a mais vaca de todas?” e ele sentiu um desânimo grande, que nem respondeu.

Fim das contas, você sabe como a história termina: ele disse “quem não tem pecado que atire a primeira pedra”, e ninguém foi capaz de atirá-las porque todos nós somos uns mentirosos, todos nós ladrões de alguma coisa ou até de nós mesmos. Todos nós somos orgulhosos e extremamente ganaciosos e queremos que o mundo gire ao redor da nossa idéia de mundo. Todos nós temos aquele erro que até hoje não esquecemos.

Por causa disso, a Madalena pode ir embora com a leveza de que todos somos pecadores, e por isso mesmo, todos somos livres para recomeçar.

Agora eu penso em mim, e em você. Talvez você não seja uma Madalena, talvez você não tenha dado até dizer chega. Mas quem sabe, você se deu pra coisas que afastaram você de você mesmo. Você se deu pra opiniões e deixou que elas ferissem você como pedras, como tiros, como morte.

Talvez você esteja numa maldita rodinha e já ache normal a sujeira que acompanha os seus passos, as pedras nas suas mãos. Talvez a sua vida seja mais dos outros do que sua, e talvez, você nunca tenha dado pra você mesmo. Uma chance, um recomeço, um esquecimento, um dia seguinte, um passo diferente, uma coragem de ser uma pessoa diferente, uma humildade de procurar na liberdade quem você realmente é.

Madalena foi embora e se a história não fala muito sobre ela, é porque ela descobriu coisas maiores do que as palavras.

Dizem que ela virou santa. Mas eu acho que não. A liberdade combina muito mais com os humanos e essa é a graça de ser imperfeito: sair de prisões a cada dia.

Madalena deu o coração.

*se você achou um absurdo o termo “dar” durante esse texto, não atire essas pedras. sejamos todos imperfeitos e felizes e unidos e mais livres do que as regras de linguagem. 

Encontrei isso num blog fantastico que realmente vale a pena conhecer: aqui!
Principalmente aos adolescentes e jovens, vale a pena, conheça!



21 de out de 2010

Uma pequena parábola da realidade







Uma vez um pedinte visitou um pastor para conseguir deste algum dinheiro. O bom homem não gostou muito da aparência do pedinte e disse:
- “O seu caso não me interessa, e não vejo razão especial para sua vinda aqui!”

Então o mendigo respondeu:
- “ Tenho certeza que me ajudaria, se soubesse quão grande beneficio tenho recebido do seu abençoado ministério.”

Qual? Perguntou o pastor. Ao que o outro respondeu:
-“Quando vim pela primeira vez ouvi-lo, não queria saber de Deus nem do diabo, mas agora, com seu abençoado ministério, cheguei ao ponto de amar os dois”.

(Trecho de A maior luta do mundo, C.H.S.) 

Qualquer semelhança não é mera coincidencia.

Creio eu que o evangelho tem sido pregado de forma tão egocentrica, diluída, destorcida, prostituída, bajulando homens depravados e interesseiros,e os tais já passaram a amar um demônio cujo cod-nome é jesus.


Lamento.
Sem mais para o momento,

Juliana.

18 de out de 2010

Fluxograma da Salvação



LEGENDA:

JOÃO 3, 16: Porque Deus amou o mundo, de tal maneira, que deu o seu Filho unigénito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
 
ATOS 13,48 : E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.


Mais simples que isso, impossível...

fonte do control C + control V:
http://barrabas-livre.blogspot.com/

16 de out de 2010

Fracaço...

 O êxito tem vários pais
Órfão é o seu revés
"Aos que sofrem, por fim o céu"
Abranda a raiva                                                                

O que trago sobre os ombros é meu e é só meu
Sustento sem implorar a benção e o pesar
Mais vil é desdenhar do que não se pode ter

Vive tão disperso, olha pros lados demais
Não vê que o futuro é você quem faz

Porque o fracasso lhe subiu a cabeça

Atribui ao outro a culpa por não ter mais
Declara as uvas verdes, mas não fica em paz
Porque o fracasso lhe subiu a cabeça

O maestro bem falou
A ofensa é pessoal
Quem aponta o traidor
É quem foi traído

Já sabe o que é cair, ao menos tentou ficar de pé
E, vítima de si, desprezo o que nunca vai ter
O mais verde é sempre além do que se pode ter


Ah, porque o fracasso lhe subiu a cabeça!




(Pitty, Fracasso) 



Coragem:



Impressionante como o "mundo" é capaz de produzir canções muito mais profundas  inteligentes e significativas que o atual  patético gospel music...Enquanto alguns idiotas sobem e descem duma árvore "como Zaqueu", o "mundo" observa que o fracasso lhe subiu a cabeça.

Quem lê entenda.

E...se você está pensando que isso é uma indireta pra você, parabéns pela persepção...acertou!


Juliana.

12 de out de 2010

Tão Belo, Sedutor e Atraente...



...Que me senti idiota.

 -------------


"Não ameis o mundo, nem o que no mundo há". 1 João 2,15.

"Então Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos: que receberemos?" Mateus 19, 27.




Explicando.

Ainda ontem, estava eu na rodoviária de Itu esperando o ônibus pra casa, cheguei cedo, pois o compromisso que  eu tinha, furou. Foi quando percebi que eu estava cercada de gente bonita. Gente diferentemente bonita,todos jovens, estavam em muitos. A maioria rapazes. E justamente na fila da plataforma do meu ônibus.
Somente quando o onibus com a faixa : SWU chegou, foi que dei conta, que eles estavam indo pro show. Passei 40 minutos em transe olhando pra eles...só era interrompida pela rápida troca de mensagens sms com um amigo, mas meus olhos estavam neles.

Eles pareciam tão felizes, mas tão felizes que eu fiquei impressionada e muito reflexiva...Por que será que sentiam-se tão alegres?

 Foi quando três pessoas pararam perto de mim a conversar, observei que o moço era extremamente belo (eu achei), todos felizes, ao que uma das moças (acho que a namorada) o abraçou, foi um abraço apertado, espontâneo, e lógico: feliz. Eu quase entrei na roda pra perguntar: Ei, deixa eu abraçar também? Ok, eu não faria isso, mas vontade eu senti.

E os onibus chegavam e partiam, gente bonita e feliz pra todo lado.

Eu senti inveja deles. Eu desejei ser um deles.

De repente ouvi dentro de mim algo mais ou menos assim: O mundo é belo, sedutor e atraente, não é mesmo? E como sempre uma resposta idiota estava na ponta da lingua: Senhor, eu deixei de viver tudo isso pra te seguir, o que eu ganho em  troca?

E fui pra casa pensando no que eu ganharia em troca e sinceramente eu fiquei agradecida, cheguei a conclusão que não ganharia nada em troca e que, se me fosse dado a oportunidade de escolha, eu com toda certeza escolheria estar ali, eu escolheria a sedução do mundo, com tudo que nele há.

Eu não amo o mundo. Mas não amo somente porque o Senhor me amou primeiro e me resgatou. Do contrário, amaria sim.

Não eu não estou dizendo que as pessoas que foram pro SWU são mundanas, pecadoras e perdidas, eu estou falando sobre o contexto em que elas e eu estamos inseridos. No sentindo das nossas vidas, na razão, nas motivações e valores, na cosmovisão que temos.

Eu não consigo descrever aqui a gratidão que eu tenho por ter conhecido a Verdade, e essa é uma verdade que abrange cada detalhe da minha vida, desde uma fila de onibus à certeza de uma eternidade, a não temer a morte, enfim, uma Verdade que se tornou a minha própria vida.

Também fiz outras constatações nessa minha reflexão: Ao que tudo indica eu não vivo mais. Sim, isso mesmo.
Veja:

Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo, na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. (Paulo em Gálatas 2, 20)

Ele dizia: Eu não vivo mais, agora é Cristo que vive em mim...

Sinceramente, inúmeras vezes tenho duvida que Cristo viva em mim, mas fato é, que eu não vivo mais. Parece mesmo que a minha própria personalidade foi definitivamente “desconfigurada”. Desejos que antes eram latentes, agora nem existem mais, traços da minha personalidade que desapareceram, desejo pelo oculto, rebeldia, ira...oh que maravilha! Como é bom ver que o Evangelho funciona! Funciona pra mim e em mim, por que não haveria de ser assim com você?

Nova criatura.
Novos sonhos.
Novas motivações.
Novas intenções.
Novidade de vida. Boas novas que o evangelho de Cristo trouxe à existência.

O mundo pode parecer belo, sedutor e atraente, mas não passa de ilusão, belo mesmo é o meu Amado.

O meu amado é cândido e rubicundo; ele traz a bandeira entre dez mil.
A sua cabeça é como o ouro mais apurado, os seus cabelos são crespos, pretos como o corvo.
Os seus olhos são como os das pombas, junto às correntes das águas, lavados em leite, postos em engaste.
As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como colinas de ervas aromáticas; os seus lábios são como lírios que gotejam mirra.
As suas mãos são como anéis de ouro, que têm engastadas as turquesas: o seu ventre, como alvo marfim, coberto de safiras.
As suas pernas, como colunas de mármore, fundadas sobre bases de ouro puro; o seu parecer, como o Líbano, excelente como os cedros.
O seu falar é muitíssimo suave; sim, ele é totalmente desejável. Tal é o meu amado, e tal o meu amigo, ó filhas de Jerusalém. (Cantares,5)


Jesus, obrigada!

25 de set de 2010

Seja bem vinda, tristeza! ( Só não fique muito tempo)

   Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade;
Assentar-se solitário, e ficar em silêncio; porquanto Deus o pôs sobre ele.
Ponha a sua boca no pó; talvez assim haja esperança.
Dê a sua face ao que o fere; farte-se de afronta.
Lamentações 3, 27-30.



Nas próximas duas décadas a Depressão deverá afetar mais pessoas que o câncer ou as doenças cardíacas, constituindo a maior causa de afastamentos do trabalho, segundo a OMS.
Só no Brasil são 17 milhões de Depressivos. (imagina esse povo todo junto? Misericórdia)
Em linhas gerais, transtornos mentais são relativamente raros, a Depressão afeta  um número de pessoas 50 vezes maior do que esses transtornos todos juntos.

Impressionante?

Não, não acho. Até seria, caso isso fosse uma doença. Mas não é. Pelo menos não na grande maioria das vezes...Estima-se que a Depressão patológica mesmo, aquela pode levar alguém a tirar a própria vida atinja um número de pessoas equivalente aos outros distúrbios mentais, cerca de apenas 1% ou 2% da população mundial.

Para sustentar minha opinião sobre o assunto sempre me apoiei na Bíblia e em como esses ensinamentos afetavam/funcionavam/influenciavam minha vida.

Reparem no nome do livro que retirei o texto bíblico: Lamentações. Sugestivo? Afora Jeremias, a bíblia relata N casos de pessoas e situações angustiantes e desesperançosas.

Parece que em algum momento os homens deixaram de tratar pecado como pecado e deram outros nomes e justificativas, colocando sobre outrem a culpa inerente ao ser humano e seu pecado.

Esses sentimentos todos que provavelmente seriam classificados como Depressivos nada mais são do que uma reação absolutamente saudável e esperada. Deus nos programou para reagirmos assim. São muitas das vezes conseqüências dos nossos próprios pecados.

De que se queixa, pois, o homem vivente? queixe-se cada um dos seus pecados. Lam 3, 39.

Psiquiatras e pesquisadores vêm atualmente fazendo estudos e defendendo suas teorias que de a Depressão está absolutamente banalizada, tristeza não é patologia. É reação natural que nos faz encarar nossas dores, angustias e nos ajuda, fazendo-nos focar em problemas complexos, gerando auto-conhecimento. Isso é o que defendem Allan Hortwitz e Jerome Wakefield, autores de um livro chamado A tristeza Perdida. Ambos psiquiatras.

O que me impressionou foi a semelhança entre os valores bíblicos sobre esse assunto e a abordagem científica dado ao mesmo.

Resumindo: Sentimentos depressivos fazem com que você tire suas próprias mascaras e se desnude ante você mesmo e principalmente perante Deus ( isso no caso de cristãos, claro). E esse “desnudar-se” é essencial no cristianismo. Por que? Porque há dois requisitos básicos e imutáveis para quem deseja ser Cristão: Conhecer a si mesmo e conhecer a Deus.

Ao retirar as próprias máscaras e contemplar a si mesmo não haverá nenhuma outra necessidade mais objetiva e emergencial do que a Graça de Deus.

Uma Graça que faz novas todas as coisas, te regenera, te abraça e te enche de esperança de continuar a viver e tentar acertar da próxima vez.

Bem, foi isso que aprendi durante esses dias em que estive “ assentada e em silêncio, por quanto Deus o pôs sobre mim”.

19 de set de 2010

Ele tinha razão...

A primeira coisa que vou dizer é que essa é 7ª ou 8ª vez que eu edito esse post. Nas outras vezes não tive coragem de postar, apenas salvava como rascunho. Apesar de saber que ninguém lerá, a vergonha prevalecia.Mas vai que algum dia alguém lê e usa a lição/moral da história e evita de "pisar com seus pés em pedras"...



“Qual de vocês, se quiser construir uma torre, primeiro não se assenta e calcula o preço, para ver se tem dinheiro suficiente para completá-la?Pois, se lançar o alicerce e não for capaz de terminá-la, todos os que a virem rirão dele, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar’. Lucas 14. 28-30

Tentarei descrever a análise que tenho feito a partir dos últimos acontecimentos na minha vida a partir dessa passagem bíblica.

Ela é na verdade uma parábola que Jesus contou àqueles que desejavam segui-lo, na verdade Jesus estava meio que “peneirando” a multidão: “Olha, veja bem se é isso que você quer e se teria condições de cumprir”... Talvez o contexto não seja então o ideal para minha ocasião, ainda assim ouso utilizar o conselho de Jesus, pois o trecho acima relata uma grande ( e negligenciada) verdade.

Sempre gostei de analisar os fatos a partir de conselhos do Mestre, descritos na bíblia. Faço isso na minha vida e na dos outros. Na grande maioria das vezes encontro um desacordo profundo noutras, nem tanto. Nessa ocasião trato da frustração que há em não atentar para os conselhos de Cristo.

Há algum tempo dei inicio a algumas “construções” na minha vida, bem, algumas eram “reconstruções”...Mas algo saiu terrivelmente errado. (ou não?)
O que eu fiz foi inverter a ordem do conselho: Iniciei a construção e só após não mais suportar o peso que o trabalho me trazia, assentei-me a fazer cálculos. Cheguei à conclusão que falhei.

Há relacionamentos que não posso manter.

Há projetos que não consigo prosseguir.

Há sonhos que não posso reviver.

Pelo menos não agora.

Mais ou menos uns 40 dias atrás a primeira coisa que desisti/abri mão/abandonei/desacreditei foram meus “relacionamentos virtuais” (amizades) Essa vontade me seguia já há tempos, e agora parece que está finalizada mesmo. Doeu. Mas são relacionamentos que eu não posso manter.

Há duas semanas desisti da faculdade. Isso foi o mais dolorido com certeza, não pelo diploma que eu almejava, mas principalmente pelo motivo que não relatarei aqui. Frustrei-me, e doeu.E ainda dói, me envergonha.

Antes de tudo isso, na verdade nem sei quando foi que aconteceu, desisti da igreja em que eu congregava, desnecessário dizer que doeu...Com isso perdi muito mais que um lugar pra estar aos sábados e domingos...perdi uma porção de sonhos. Eram um tanto quanto utópicos mesmo. Entretanto é um assunto que eu insisto em velar com discreta esperança.

E dessa vez é assim: Errando, que eu reconheço mais uma vez que as verdades do Cristianismo me são essenciais e que eu deveria ter prestado mais reverência a Palavra. É bem desconfortável, de certa forma humilhante. Iniciei projetos sem consultar o grande Arquiteto e fazer os cálculos necessários.

Agora eles acabam assim...incompletos e arruinados.


Há ainda a segunda parte do conselho: todos os que a virem rirão dele, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de terminar’.

Quem tem me dito isso constantemente é a relativa depressão que esse desgaste me causou. Introspecção, silêncio, algumas horas da noite em claro, choro contido.

Sobre isso falarei no próximo post, em breve.

11 de set de 2010

Como buscarei a Deus?

Onde está, logo, a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.
Romanos 3, 27.


Sinceramente, Romanos é o livro que tem dilacerado o meu orgulho e ego. E isso é bom, muito bom. Tenho encontrado verdades fantásticas nesse livro. E como isso se aplica à minha vida?

Ontém conversando com alguém, essa pessoa disse algo sobre "Buscar a Deus decentemente", exatamente com essas palavras. Essa frase falou mais alto, eu fui dormir pensando nela, eu pensei sobre ela mesmo dormindo e acordei pensando ainda.

E sinceramente, ontém fiz um pedido a Deus, pedi que Ele me livre de um dia pensar que O estou buscando decentemente. Então eu fiquei pensando sobre a validade do meu pedido.

Será que Deus espera mesmo que eu O busque decentemente?
-Se Ele faz isso, provavelmente o faça sentado...

Eu sei que se eu tirar as minhas máscaras e olhar pro que há dentro de mim, eu não vou encontrar qualquer vontade natural de buscar a Deus e sua vontade. Não sou naturalmente inclinada a isso. E Ele sabe bem. Mas essa relação comigo mesma e com Deus é complexa, pois ao mesmo tempo eu sinto que "Para onde irei, se só Tu tens as palavras de vida eterna?"

Me sinto absolutamente atraída pelo que naturalmente não me atrai.

Talvez isso seja sinal de restícios do velho homem...eu ainda não sei.

Há um versículo que eu gosto muito, em Oséias 11, 4.

Atraí-os com cordas humanas, com cordas de amor; e fui para eles como os que tiram o jugo de sobre as suas queixadas; e lhes dei mantimento.

É assim que me sinto, atada por cordas de amor. Isso me dá uma segurança infalível, ainda mais se me lembro de Romanos 8, 31-39.

Tudo isso, essas passagens bíblicas, minha reflexão sobre a frase da minha amiga, minhas experiencias e o olhar pra dentro de mim, me remete a um único sentimento: Gratidão.

Onde está, logo, o meu orgulho por buscar a Deus decentemente? Foi excluído. Pelas minhas obras? Não, mas pela fé.


Sacríficios pra Deus são um coração quebrantado e contrito.( Salmo 51, 17). Quebrantamento, Contrição e Gratidão. Pelo jeito o padrão de decencia de Deus é bem diferente do que os homens propõem. Não fala de obras, fala de sentimentos e de pessoas enxarcadas e guiadas pela humildade e gratidão.Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, sem as obras da lei.(Rm 3,28), e seria somente a soma disso tudo que me faria buscar a Deus "decentemente". Seria algo muito mais próximo de "estar vazia" do que apresentar obras, atitudes e palavras.



Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença;
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente, pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus,
Ao qual Deus propôs para propiciação, pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça, neste tempo presente, para que ele seja justo, e justificador daquele que tem fé em Jesus.

5 de set de 2010

Grrrrr!!!

Tem um tipo de gente que sabe como te fazer sentir insignificante e que está muito aquém do mínimo necessário pra estar perto dela.

E é esse tipo de gente que desperta em mim uma diversidade de sentimentos e pensamentos: perplexidade, revolta, ira e outras coisas que nem sei que nome tem.

 


Hoje eu vivi isso.

Ontém também.

E antes de ontém...

É estranha essa sensação de que você faz pela pessoa o que ela jamais faria por você e sequer vai agradecer.Você disponibiliza tempo, dinheiro (seja quanto for), atenção, preocupação, orações, você caminha uma milha e depois mais uma...tudo pra perceber que há ainda mais uma...

Isso cansa!

Crise de egoísmo? Sim, pode ser. Mas o fato é que eu sou gente, e gente comum não vai se esvaziando e se doando até o infinito...gente tem limites, tem espaços, tem orgulho.

Esse tipo de gente me deixa maluca, revoltada! E mais maluca ainda me deixa o fato de ser atraída tão fortemente por elas...complicadas, fechadas, arrogantes e orgulhosas. Talvez porque eu também seja assim, e lá no fundo eu sei que sou.

E perceber que as pessoas que você escolheu amar simplesmente não desejam sua companhia, cara...é frustrante.

Interessante lembrar que Jesus Cristo passou por isso, numa escala infinitamente maior, é verdade. Não, eu não estou sendo tão prepotente a ponto de me comparar à Ele.
Mas que Sua lição de vida ensina, ensina.
Veja:

Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. João 1, 10.

Era desprezado, e o mais indigno entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos: e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Isaías 53,3.

Desprezo. Jesus sentiu desprezo. E pior, dos que Ele tanto amava.

Jesus sabe como me sinto, isso basta.
A gente se acostuma.

14 de ago de 2010

Conhecendo a liberdade. ( ou não?)

E vou desfrutando da minha tão sonhada liberdade, ao passo que reconheço e desfruto do absoluto controle do Pai das luzes, em quem não há mudança nem sombra de variação(Deus). E fora dessa verdade, para mim só há conflitos infindos.


TUDO tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu:
-Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras;tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar.
(Eclesiastes 3)

Acatar, entender e viver isso tem sido grande dificuldade pra mim e não é de hoje... Abraços com amor parecem viciantes e eu não quero largar. Por outro lado, abraçar gente "fedida" (fedida de alma) me parece repugnante e eu não quero me apegar...vai que fica impregnado em mim?

Enxergas a discrepância?
Ou não entendeu nada?

2 de ago de 2010

Diálogo




- Ei, por que está parada aí?
- Não sei pra onde ir.
- Oras, claro que sabe! Há dois caminhos aí, vai pelo mais estreito!
- Não posso.
- Como não?
- Não vê? São iguais...
- Então escolhe.
- Não posso.
- Como não?
- "Há caminhos que ao homem parecem bons, mas no fim são caminhos de morte".
- Ora, ora...qual te parece mais dificil?
- O da esquerda.
- Isso então faz dele o mais estreito, escolhe-o.
- Não, isso só me faz mais confusa, mas eles continuam iguais.
- E você vai ficar aí parada?
- É, vou.
[silêncio]
- Mas, e você pra onde vai?
- Bem, não sei.
- Que faremos?
- Esperemos.
-Esperar é ter esperança?


31 de jul de 2010

Esperança!

“Pelo que estamos sempre de bom ânimo, sabendo que, enquanto estamos no corpo, vivemos ausentes do Senhor.
(Porque andamos por fé, e não por vista.)” II Coríntios 5,10.

Esperança, esperança! Falarei de esperança, pois é isso que Ele tem me ensinado há dias. Quero dizer que essas lições que aprendo tem de certa forma, um preço pra mim...Pois eu não as aprendo em livros, no Orkut ou por SMS. Eu as aprendo com Jesus vivendo-as no corpo, na alma e na mente, por isso, o que eu rabisco aqui tem valor pra mim, é parte de mim.

Mas ter esperança não é bom só para mim é bom para você também! Você precisa de esperança, eu sei que precisa! Olha só o jeito que você está, olha pra você.

A esperança de um dia poder vê-lo
Em sua presença poder permanecer
Leva-me a caminhar
Numa eterna dimensão
(B.Simion)

A minha salvação nada mais é do que Esperança, oras, eu ainda não moro no céu, ainda não vi Jesus e tantos mistérios ainda estão ocultos para mim.
E foi Paulo mesmo quem disse isso em Romanos 8, veja:

“Porque em esperança somos salvos. Ora, a esperança que se vê não é esperança; porque, o que alguém vê, como o esperará?
Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos”

Amigo, por hora tudo que você tem é a fé. Pois não andamos por vista, mas por fé, entende?
Não importa o que o seu coração diz (ele é enganoso, corrupto) Tão pouco importa o que você sente ou o que dizem sobre você.
E a grande maravilha dessa esperança é que já nos foi dada uma garantia de que se cumprirá, ele deixou dentro de nós mesmo essa garantia, como um penhor, veja:

“Ora quem para isto mesmo nos preparou foi Deus, o qual nos deu, também, o penhor do Espírito”. ( também em II Cor)

Você não vive pra trabalhar e ganhar dinheiro, estudar e ser promovido, você não vive pra nada que é terreno, mas vive por uma Esperança. E toda vez que o seu coração se desvia ou se esquece disso ele fica desencontrado, sua alma, desassossegada e você, incompleto.

Na verdade para mim está quase impossível transcrever aqui o que Deus me ensinou e tem me feito viver, talvez isso diga respeito ao nosso relacionamento somente, eu não sei, mas de qualquer forma, dentro da minha grande Esperança está a esperança de ver você vivendo dias melhores, com um alma completa, ver você caminhando numa eterna dimensão até chegar ao fim!

Quero que você desacredite de tudo que você sente: Vontade de parar, pensar que não é escolhido, que não é bom o suficiente, atração pelo mundo. Se despoje disso!
Veja, até agora nunca fomos tratados como realmente merecíamos, apenas Graça sobre Graça nos tem alcançado. A Graça está envolvendo você, está abraçando você, está garantindo um futuro a você. Se encharque dela!

Mas não é por vista, é por fé.

Porque viver sem uma esperança digna e real é algo que nossa alma jamais se acostuma.

29 de jul de 2010

São tantas invenções...


“Vede, isto tão somente achei: que Deus fez ao homem reto, mas eles buscaram muitas invenções.” (Provérbios 7,29)
Estive indagando, pensando e observando acerca desse versículo escrito pelo rei Salomão e, sinceramente não obtive qualquer revelação dos céus e nenhum anjo loiro, grande e elegante me veio explicar sobre ele (graças a Deus), tampouco dividi com qualquer amigo enquanto me aplicava a isso ( não por falta de vontade, mas por falta de um alguém que goste de divagar sobre isso)
Ontem eu cheguei a uma conclusão e caso alguém se interesse em ler deixarei isso rabiscado aqui, vale lembrar que isso diz respeito a mim, às minhas experiências e perspectivas, não é uma regra, e como disse acima não é uma revelação.
Eu não sei de que “homem” Salomão estava falando, provavelmente seja Adão, afinal é o único de que se tem notícia que fora criado “reto”. Além do mais, noto que Salomão se referiu ao homem no singular e logo depois passou a considerar no plural, entendi então que ao criar o Homem (ser humano) Deus o fez reto, íntegro e puro, mas depois... bem, depois, você sabe o que aconteceu.
Diz a bíblia que:
“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” ( 2 Cor. 5,17)
Sinceramente se Adão era de todo RETO e LIVRE é algo que eu prefiro deixar para ponderar mais tarde, por hora posso aplicar o versículo só a mim mesma.
Eu estou em Cristo, eu nasci de novo sou uma nova criatura. Deus me fez de novo. Como se houvesse concertado tudo o que estava estragado, me deixando então em condições de acertar o alvo.
E em meio ao turbilhão de pensamentos, frustrações e sentimentos eu ousei perguntar : “Deus, porque eu sou assim?” Pude ouvir em resposta: “Olha, eu te fiz reta, mas você buscou muitas invenções...”
Sem dúvidas nada me apresentou invenções mais complexas do que a religião. Estudando e perguntando sobre essas abstrações (que me fascinam em absoluto) pude notar quanta coisa criou o homem e me perguntei: “Será mesmo necessário?”
Nos últimos dias eu estava inquirindo sobre Infralapsarianismo e Supralapsarianismo e vendo qual das duas visões Calvinistas eu me encaixo melhor e qual delas seria a mais acertada para mim...Mas, essas não foram as únicas palavras difíceis ( com significados idem) que eu encontrei pelo labirinto da Teologia (tem coisa pior ainda por lá! [risos])
Eu me cansei disso tudo e resolvi dar uma olhada no Cristianismo primitivo, aquele verdadeiro, puro e genuíno, relatado em Atos. ( eu apenas me lembrei, não quis ler ou estudar mais) Eis o que encontrei por lá:
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam as suas propriedades e fazendas, e repartiam com todos, segundo cada um necessitasse.
E, perseverando unânimes, todos os dias, no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração” ( Atos 2)
Faça o favor de não ser preguiçoso(a) e leia o texto bíblico acima.
Notei que, o Cristianismo fiel não se resume em palavras difíceis e indagações sem fim, antes, o Cristianismo que me fascina fala de coisas simples (nem tão simples assim) como : Perseverança, Comunhão, Temor, Crer, Abnegação, União e Singeleza de coração. São essas as palavras chaves do texto acima, são essas as palavras chaves do cristianismo.
Essa foi a primeira igreja. Esses foram os primeiros “nascidos de novo”. As primeiras novas criaturas em Cristo...
Jesus Cristo fala palavras simples à pessoas simples.
Jesus Cristo escolhe homens simples, grosseiros até, incultos e incautos.
Jesus Cristo recria homens retos.
Resumindo tudo, eu vi dentro de mim que estou muito distante daquilo que se chama Cristianismo e que por um momento eu busquei muitas invenções. Invenções que na verdade só geram um turbilhão de pensamentos, frustrações e sentimentos.
É, eu não preciso de uma Corrente Teológica, eu preciso é de Cristianismo puro e simples. Preciso me esvaziar de todas invenções que eu adotei. Me impregnar das palavras de vida, ditas pelo Mestre. Voltar ao inicio de tudo, lá atrás, bem longe...quando ele me fez Reta, por ocasião do meu “primeiro amor”.