5 de set de 2010

Grrrrr!!!

Tem um tipo de gente que sabe como te fazer sentir insignificante e que está muito aquém do mínimo necessário pra estar perto dela.

E é esse tipo de gente que desperta em mim uma diversidade de sentimentos e pensamentos: perplexidade, revolta, ira e outras coisas que nem sei que nome tem.

 


Hoje eu vivi isso.

Ontém também.

E antes de ontém...

É estranha essa sensação de que você faz pela pessoa o que ela jamais faria por você e sequer vai agradecer.Você disponibiliza tempo, dinheiro (seja quanto for), atenção, preocupação, orações, você caminha uma milha e depois mais uma...tudo pra perceber que há ainda mais uma...

Isso cansa!

Crise de egoísmo? Sim, pode ser. Mas o fato é que eu sou gente, e gente comum não vai se esvaziando e se doando até o infinito...gente tem limites, tem espaços, tem orgulho.

Esse tipo de gente me deixa maluca, revoltada! E mais maluca ainda me deixa o fato de ser atraída tão fortemente por elas...complicadas, fechadas, arrogantes e orgulhosas. Talvez porque eu também seja assim, e lá no fundo eu sei que sou.

E perceber que as pessoas que você escolheu amar simplesmente não desejam sua companhia, cara...é frustrante.

Interessante lembrar que Jesus Cristo passou por isso, numa escala infinitamente maior, é verdade. Não, eu não estou sendo tão prepotente a ponto de me comparar à Ele.
Mas que Sua lição de vida ensina, ensina.
Veja:

Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. João 1, 10.

Era desprezado, e o mais indigno entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos: e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum. Isaías 53,3.

Desprezo. Jesus sentiu desprezo. E pior, dos que Ele tanto amava.

Jesus sabe como me sinto, isso basta.
A gente se acostuma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário