11 de set de 2010

Como buscarei a Deus?

Onde está, logo, a jactância? É excluída. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé.
Romanos 3, 27.


Sinceramente, Romanos é o livro que tem dilacerado o meu orgulho e ego. E isso é bom, muito bom. Tenho encontrado verdades fantásticas nesse livro. E como isso se aplica à minha vida?

Ontém conversando com alguém, essa pessoa disse algo sobre "Buscar a Deus decentemente", exatamente com essas palavras. Essa frase falou mais alto, eu fui dormir pensando nela, eu pensei sobre ela mesmo dormindo e acordei pensando ainda.

E sinceramente, ontém fiz um pedido a Deus, pedi que Ele me livre de um dia pensar que O estou buscando decentemente. Então eu fiquei pensando sobre a validade do meu pedido.

Será que Deus espera mesmo que eu O busque decentemente?
-Se Ele faz isso, provavelmente o faça sentado...

Eu sei que se eu tirar as minhas máscaras e olhar pro que há dentro de mim, eu não vou encontrar qualquer vontade natural de buscar a Deus e sua vontade. Não sou naturalmente inclinada a isso. E Ele sabe bem. Mas essa relação comigo mesma e com Deus é complexa, pois ao mesmo tempo eu sinto que "Para onde irei, se só Tu tens as palavras de vida eterna?"

Me sinto absolutamente atraída pelo que naturalmente não me atrai.

Talvez isso seja sinal de restícios do velho homem...eu ainda não sei.

Há um versículo que eu gosto muito, em Oséias 11, 4.

Atraí-os com cordas humanas, com cordas de amor; e fui para eles como os que tiram o jugo de sobre as suas queixadas; e lhes dei mantimento.

É assim que me sinto, atada por cordas de amor. Isso me dá uma segurança infalível, ainda mais se me lembro de Romanos 8, 31-39.

Tudo isso, essas passagens bíblicas, minha reflexão sobre a frase da minha amiga, minhas experiencias e o olhar pra dentro de mim, me remete a um único sentimento: Gratidão.

Onde está, logo, o meu orgulho por buscar a Deus decentemente? Foi excluído. Pelas minhas obras? Não, mas pela fé.


Sacríficios pra Deus são um coração quebrantado e contrito.( Salmo 51, 17). Quebrantamento, Contrição e Gratidão. Pelo jeito o padrão de decencia de Deus é bem diferente do que os homens propõem. Não fala de obras, fala de sentimentos e de pessoas enxarcadas e guiadas pela humildade e gratidão.Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, sem as obras da lei.(Rm 3,28), e seria somente a soma disso tudo que me faria buscar a Deus "decentemente". Seria algo muito mais próximo de "estar vazia" do que apresentar obras, atitudes e palavras.



Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo, para todos e sobre todos os que crêem; porque não há diferença;
Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus;
Sendo justificados gratuitamente, pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus,
Ao qual Deus propôs para propiciação, pela fé no seu sangue, para demonstrar a sua justiça pela remissão dos pecados dantes cometidos, sob a paciência de Deus;
Para demonstração da sua justiça, neste tempo presente, para que ele seja justo, e justificador daquele que tem fé em Jesus.

Um comentário:

  1. Olá Juliana!

    Quero lhe parabenizar pela iniciativa do blog, e lhe incentivar a prosseguir. Reflexões como esta precisam ser compartilhadas com o maior número de pessoas possível, e penso que a blogosfera oferece uma ótima plataforma para isso.

    Já estou seguindo seu blog.

    Aproveito para lhe convidar a conhecer meu espaço, e se desejar também segui-lo, será uma honra. Seus comentários também serão sempre bem-vindos.

    www.hermesfernandes.com

    Aparece lá!

    ResponderExcluir