25 de set de 2010

Seja bem vinda, tristeza! ( Só não fique muito tempo)

   Bom é para o homem suportar o jugo na sua mocidade;
Assentar-se solitário, e ficar em silêncio; porquanto Deus o pôs sobre ele.
Ponha a sua boca no pó; talvez assim haja esperança.
Dê a sua face ao que o fere; farte-se de afronta.
Lamentações 3, 27-30.



Nas próximas duas décadas a Depressão deverá afetar mais pessoas que o câncer ou as doenças cardíacas, constituindo a maior causa de afastamentos do trabalho, segundo a OMS.
Só no Brasil são 17 milhões de Depressivos. (imagina esse povo todo junto? Misericórdia)
Em linhas gerais, transtornos mentais são relativamente raros, a Depressão afeta  um número de pessoas 50 vezes maior do que esses transtornos todos juntos.

Impressionante?

Não, não acho. Até seria, caso isso fosse uma doença. Mas não é. Pelo menos não na grande maioria das vezes...Estima-se que a Depressão patológica mesmo, aquela pode levar alguém a tirar a própria vida atinja um número de pessoas equivalente aos outros distúrbios mentais, cerca de apenas 1% ou 2% da população mundial.

Para sustentar minha opinião sobre o assunto sempre me apoiei na Bíblia e em como esses ensinamentos afetavam/funcionavam/influenciavam minha vida.

Reparem no nome do livro que retirei o texto bíblico: Lamentações. Sugestivo? Afora Jeremias, a bíblia relata N casos de pessoas e situações angustiantes e desesperançosas.

Parece que em algum momento os homens deixaram de tratar pecado como pecado e deram outros nomes e justificativas, colocando sobre outrem a culpa inerente ao ser humano e seu pecado.

Esses sentimentos todos que provavelmente seriam classificados como Depressivos nada mais são do que uma reação absolutamente saudável e esperada. Deus nos programou para reagirmos assim. São muitas das vezes conseqüências dos nossos próprios pecados.

De que se queixa, pois, o homem vivente? queixe-se cada um dos seus pecados. Lam 3, 39.

Psiquiatras e pesquisadores vêm atualmente fazendo estudos e defendendo suas teorias que de a Depressão está absolutamente banalizada, tristeza não é patologia. É reação natural que nos faz encarar nossas dores, angustias e nos ajuda, fazendo-nos focar em problemas complexos, gerando auto-conhecimento. Isso é o que defendem Allan Hortwitz e Jerome Wakefield, autores de um livro chamado A tristeza Perdida. Ambos psiquiatras.

O que me impressionou foi a semelhança entre os valores bíblicos sobre esse assunto e a abordagem científica dado ao mesmo.

Resumindo: Sentimentos depressivos fazem com que você tire suas próprias mascaras e se desnude ante você mesmo e principalmente perante Deus ( isso no caso de cristãos, claro). E esse “desnudar-se” é essencial no cristianismo. Por que? Porque há dois requisitos básicos e imutáveis para quem deseja ser Cristão: Conhecer a si mesmo e conhecer a Deus.

Ao retirar as próprias máscaras e contemplar a si mesmo não haverá nenhuma outra necessidade mais objetiva e emergencial do que a Graça de Deus.

Uma Graça que faz novas todas as coisas, te regenera, te abraça e te enche de esperança de continuar a viver e tentar acertar da próxima vez.

Bem, foi isso que aprendi durante esses dias em que estive “ assentada e em silêncio, por quanto Deus o pôs sobre mim”.

3 comentários:

  1. Parabéns pelo Texto Jú!
    EU sou fã de Lam 3:39, e sua analogia me fez refletir sobre algo que gosto muito.

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz, sempre!

    Passei por aqui para conhecer seu blog.
    Estou procurando bons blogs para compartilhar.

    Já estou te seguindo.

    Ficaria muito feliz se puder me visitar.
    Se quiser me seguir também será um prazer para mim.

    Abraço em Cristo,

    Sandro
    http://oreinoemnos.blogspot.com/
    Te espero lá.

    ResponderExcluir