29 de jul de 2010

São tantas invenções...


“Vede, isto tão somente achei: que Deus fez ao homem reto, mas eles buscaram muitas invenções.” (Provérbios 7,29)
Estive indagando, pensando e observando acerca desse versículo escrito pelo rei Salomão e, sinceramente não obtive qualquer revelação dos céus e nenhum anjo loiro, grande e elegante me veio explicar sobre ele (graças a Deus), tampouco dividi com qualquer amigo enquanto me aplicava a isso ( não por falta de vontade, mas por falta de um alguém que goste de divagar sobre isso)
Ontem eu cheguei a uma conclusão e caso alguém se interesse em ler deixarei isso rabiscado aqui, vale lembrar que isso diz respeito a mim, às minhas experiências e perspectivas, não é uma regra, e como disse acima não é uma revelação.
Eu não sei de que “homem” Salomão estava falando, provavelmente seja Adão, afinal é o único de que se tem notícia que fora criado “reto”. Além do mais, noto que Salomão se referiu ao homem no singular e logo depois passou a considerar no plural, entendi então que ao criar o Homem (ser humano) Deus o fez reto, íntegro e puro, mas depois... bem, depois, você sabe o que aconteceu.
Diz a bíblia que:
“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” ( 2 Cor. 5,17)
Sinceramente se Adão era de todo RETO e LIVRE é algo que eu prefiro deixar para ponderar mais tarde, por hora posso aplicar o versículo só a mim mesma.
Eu estou em Cristo, eu nasci de novo sou uma nova criatura. Deus me fez de novo. Como se houvesse concertado tudo o que estava estragado, me deixando então em condições de acertar o alvo.
E em meio ao turbilhão de pensamentos, frustrações e sentimentos eu ousei perguntar : “Deus, porque eu sou assim?” Pude ouvir em resposta: “Olha, eu te fiz reta, mas você buscou muitas invenções...”
Sem dúvidas nada me apresentou invenções mais complexas do que a religião. Estudando e perguntando sobre essas abstrações (que me fascinam em absoluto) pude notar quanta coisa criou o homem e me perguntei: “Será mesmo necessário?”
Nos últimos dias eu estava inquirindo sobre Infralapsarianismo e Supralapsarianismo e vendo qual das duas visões Calvinistas eu me encaixo melhor e qual delas seria a mais acertada para mim...Mas, essas não foram as únicas palavras difíceis ( com significados idem) que eu encontrei pelo labirinto da Teologia (tem coisa pior ainda por lá! [risos])
Eu me cansei disso tudo e resolvi dar uma olhada no Cristianismo primitivo, aquele verdadeiro, puro e genuíno, relatado em Atos. ( eu apenas me lembrei, não quis ler ou estudar mais) Eis o que encontrei por lá:
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.
E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos.
E todos os que criam estavam juntos, e tinham tudo em comum.
E vendiam as suas propriedades e fazendas, e repartiam com todos, segundo cada um necessitasse.
E, perseverando unânimes, todos os dias, no templo, e partindo o pão em casa, comiam juntos com alegria e singeleza de coração” ( Atos 2)
Faça o favor de não ser preguiçoso(a) e leia o texto bíblico acima.
Notei que, o Cristianismo fiel não se resume em palavras difíceis e indagações sem fim, antes, o Cristianismo que me fascina fala de coisas simples (nem tão simples assim) como : Perseverança, Comunhão, Temor, Crer, Abnegação, União e Singeleza de coração. São essas as palavras chaves do texto acima, são essas as palavras chaves do cristianismo.
Essa foi a primeira igreja. Esses foram os primeiros “nascidos de novo”. As primeiras novas criaturas em Cristo...
Jesus Cristo fala palavras simples à pessoas simples.
Jesus Cristo escolhe homens simples, grosseiros até, incultos e incautos.
Jesus Cristo recria homens retos.
Resumindo tudo, eu vi dentro de mim que estou muito distante daquilo que se chama Cristianismo e que por um momento eu busquei muitas invenções. Invenções que na verdade só geram um turbilhão de pensamentos, frustrações e sentimentos.
É, eu não preciso de uma Corrente Teológica, eu preciso é de Cristianismo puro e simples. Preciso me esvaziar de todas invenções que eu adotei. Me impregnar das palavras de vida, ditas pelo Mestre. Voltar ao inicio de tudo, lá atrás, bem longe...quando ele me fez Reta, por ocasião do meu “primeiro amor”.

Um comentário: