26 de jul de 2011

Amy Winehouse




Pobre Amy.
Nunca escondi que curtia Amy Winehouse, suas músicas, estilo e loucura. Também nunca entendi por que.
Sei sobre ela o que uma adolescente fútil sabe sobre Restart ou Justin Biber (como escreve?) rsrs
Por ocasião de sua morte ouvi e li alguns comentários totalmente dispensáveis. O que me inspirou uma pergunta: O que te faz melhor que a Amy? E quem te disse que você é melhor que ela?

Uma vida de rebelião contra Deus, desprezando seu maior dom: a própria vida. Autodestruição, sexo, dinheiro e fama...tudo que o diabo gosta, assim viveu Amy.

Na hipótese de poder fazê-lo, retirei por alguns segundos, a Graça de sobre mim. Encontrei alguém tão escravizada quanto Amy, e ainda, sem talento algum para me gabar...

Retire a Graça, e encontre uma pessoa que se esconde em seus vícios numa busca desenfreada por prazer e amor. Desesperada em si mesmo, sem esperanças de um futuro, sem gratidão pela vida.

Sem a Graça de Deus seria tão autodestrutiva quanto ela, talvez não com os mesmos vícios, mas o cardápio é bem extenso, convenhamos...

Fica aqui meu lamento pela seu triste fim. E meu pesar, por ver que os discípulos do amor, nem sempre influenciam ou se comportam como deveriam.

Amy, você voltou à escuridão... que pena.

Um comentário:

  1. Juliana foi a melhore reflexão sobre a infeliz morte da Amy...

    Que Deus continue te concedendo esse maravilhoso dom de escrever!

    ResponderExcluir